Articles

Os malefícios do Açucar

In Saúde on Julho 18, 2012 by Admin

O acuçar é uma droga.

Todos os seres humanos precisam de algum tipo de açúcar para viver. Mas é preciso saber que todo o açúcar de que precisam pode ser conseguido diretamente de uma alimentação equilibrada, baseada em cereais integrais, frutas, sucos, legumes e verduras. No processo metabólico do corpo humano, estes tipos de alimentos, que contêm carboidratos em maior ou menor quantidade, após a digestão se transformam em um tipo de açúcar chamado glicose, que é a principal fonte de energia necessária ao perfeito funcionamento do corpo humano. Podemos chamá-la de “açúcar estrutural”, pois essa energia gerada pela glicose é utilizada para o crescimento, a regeneração celular, a atividade física, o pensamento e a manutenção do corpo em geral.

Ingerindo Em Excesso
Quando ingerimos açúcar em excesso – seja através dos cereais ou frutas, ou diretamente através do açúcar refinado, balas e doces – o pâncreas, glândula responsável pela produção da insulina, fica sobrecarregado, já que a insulina é um hormônio que transforma o açúcar (sacarose) em glicose. A glicose em excesso, essa energia não consumida, vira gordura e se acumula no organismo, causando doenças cardio-vasculares, obesidade, diabetes e hipertensão arterial, dentre outras.

Historicamente o consumo de açúcar se acentuou a partir da sua produção industrial, e passou a fazer parte dos mais diversos tipos de alimentos; desde refrigerantes, sorvetes e biscoitos a balas, doces em conserva, bolos, pães e diversos outros. Existem pesquisas que comprovam que até o século XVI não havia cadáveres com dentes cariados e isto comprova que as necessidades de “açúcar estrutural” das pessoas até aquela época eram satisfeitas com os açúcares naturais dos alimentos.

O sabor doce, que para os primitivos era sinônimo de algo comestível, ou seja, não-venenoso, se transformou num dos maiores venenos que a humanidade (des)conhece.
O PRINCIPAL VILÃO dessa história é o açúcar refinado, aquele branquinho – “gostoso e com cara de inocente”, como disse uma vez a escritora e pesquisadora de alimentação natural Sônia Hirsch – , obtido por meio de processos físico-químicos de transformação da garapa da cana ou extratos da beterraba, por exemplo, onde se usa e abusa de aditivos químicos para clarear e tirar a umidade do produto. A indústria ainda chama esse processo de “beneficiamento”!
O açúcar refinado pode ser consumido em estado “puro” nos cafezinhos ou no café da manhã, nos refrescos, nos sucos ( que já têm o açúcar natural das frutas !), mas também na forma “invisível”, oculto nas guloseimas, refrigerantes, bolos, etc.

O Açúcar Rouba Energia
Para o corpo humano, essa é uma espécie de açúcar “gratuito”, por ter sido ingerido pronto, mas na verdade a única “gratuidade” é o sabor, pois para processá-lo o organismo gasta muito mais energia e mesmo assim não o consegue completamente. Por isso mesmo gera acúmulo excessivo dessa energia não consumida em forma de gordura ou da própria glicose na corrente sangüínea. Daí para as doenças cardio-vasculares e diabetes é um pulo.
O açúcar refinado é considerado um antinutriente porque, além de não dar nutrientes nem energia vital para o organismo ainda rouba e/ou destrói vitaminas e minerais importantes, como o cálcio e o magnésio e as vitaminas do complexo B.

Uma Droga Dissimulada
Este tema obviamente não é inédito: foi tratado com bastante propriedade e extensão em livros como “Sem açúcar, com afeto” da Sônia Hirsch, “Relatório Orion” do Dr. Márcio Bontempo e “Sugar Blues”, do escritor e pesquisador americano William Dufty, publicado na década de 70, onde o autor se refere ao açúcar (sacarose) refinado como “…a mais dissimulada droga, que dissolve os dentes e os ossos de toda uma civilização…” e ainda como “…substância antinutriente formadora de hábito…”.
Hábito esse que geralmente se inicia nas mamadeiras dos bebês, tão logo parem de se alimentar com o leite materno, se transforma em vício – o primeiro vício que uma pessoa adquire sem saber – e termina, às vezes, em falta de disposição geral, depressão e várias doenças crônicas – incluindo o diabetes – muitas vezes com conseqüências funestas.
ESTIMA-SE QUE O CONSUMO médio mundial de açúcar seja de aproximadamente 200g por dia, incluindo cafezinhos, doces, sucos, refrigerantes e até cigarros.
Isso significa 6 Kg por mês ou 72 Kg por ano; nesse ritmo um ser humano adulto por volta dos 40 anos terá consumido perto de 3 toneladas de açúcar!

O Corpo NÃO É Preparado Para O Açúcar
– O corpo humano não é preparado para ingerir essa quantidade de açúcar, principalmente porque a sacarose não faz parte da cadeia alimentar – diz o Dr. Ihsan Yossef Simaan – e o principal malefício, no último século, é a modificação morfológica do corpo humano, com os indivíduos tornando-se obesos.
O mesmo Dr. Ihsan atesta que o açúcar vicia mais que a cocaína:
– A cocaína leva à morte, por uso direto (overdose) a cerca de 6% a 8% dos usuários. No caso do açúcar, esse percentual é de 42%, por meio da hipertensão, cardiopatias, diabetes e a famosa obesidade.

Dependência Química
A dependência química do açúcar é muito forte porque está ligada aos neurotransmissores cerebrais conhecidos como serotonina, que são responsáveis pelo estado de felicidade.
Aliás essa explicação é uma das bases para se entender o porquê do uso de qualquer coisa que nos leva ao vício: o prazer alcançado, ainda que por pouco tempo. Como a sensação é boa, queremos repetir, e aí não paramos mais.
Então aí vão as conseqüências:
Sensação de saciedade. O açúcar se transforma em energia muito rápido e o corpo “pensa” que já está alimentado, não sentindo necessidade de ingerir alimentos realmente nutritivos.
Como o açúcar se transforma rapidamente em energia em nosso corpo, o que não aproveitamos também rapidamente vira gordura e fica depositado em diversas partes do corpo.
Perda lenta e constante de cálcio e magnésio, abrindo as portas para cáries, infecções e doenças como osteoporose e câncer, retenção de sais de cálcio, causando endurecimento das artérias (arteriosclerose).
O organismo rouba cálcio dos ossos para neutralizar a acidificação do sangue provocada pela ingestão abusiva de açúcar, causando desequilíbrio imunológico, perturbações no metabolismo, causando obesidade, depressão, hipoglicemia e diabetes;tendência à preguiça e cálculos biliares.

Alternativa
Mas existe alternativa?
Sim, muitas e todas dependem essencialmente de mudança de hábitos, abrir mão de sabores, testar, testar e testar o que melhor funcione com cada um de nós.
E, como todo vício, normalmente os tratamentos de choque não dão bons resultados. Vamos devagar!

Texto de Edison Rabello JR.

Dizer que é gostoso e dá prazer parece conversa de drogado, voce não acha?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: